terça-feira, 21 de junho de 2016

Palestra Projeto Lontra - Rio Fiúza


            No dia 21 de junho, o MAHP, promoveu mais uma atividade alusiva a 14ª Semana Nacional de Museus, que neste ano tem como tema “História do Parque Municipal” e “Memórias e Histórias do Rio Fiúza”. Neste sentido, convidou-se a Professora Doutora Caroline Leuchtenberger, e alunos de Licenciatura em Ciências Biológicas do Instituto Federal Farroupilha - Campus Panambi para compartilhar oProjeto Lontras do Rio Fiúza Lontras Urbanas”, desenvolvido e coordenado pela referida Professora. 
       Primeiramente foi trabalhado  a lontra e seus hábitos. Foram expostos os objetivos do Projeto, os quais envolvem conhecer a saúde, a dieta e o comportamento das lontras que vivem no Rio Fiúza e a intenção de utilizá-las como espécie bandeira para conservar todo ecossistema.
Em seguida realizou-se uma pesquisa de campo. Foi um dia muito especial com o IFF - Campus Panambi e EMEF Dona Leopoldina, 6º ano, com professor Rômulo.
Agradecemos ao IFF - Campus Panambi, em especial a professora Caroline e alunos, por partilhar este projeto conosco. Aprendemos muito.







segunda-feira, 23 de maio de 2016

Ação Global

         O MAHP participou do evento Ação Global, promovida pelo SESI e Rede Globo. Foi um dia gratificante, aproximadamente 300 pessoas visitaram o Museu. Uma ótima oportunidade para conhecer ou relembrar nossa história.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Dia Internacional de Museus

        Hoje, dia 18 de Maio é o Dia Internacional de Museus. Este dia, foi criado em 1977 e tem como objetivo sensibilizar sobre o papel dos museus no desenvolvimento da sociedade.
       O Museu e Arquivo Histórico de Panambi foi uma inciativa de um grupo de professores do Colégio Evangélico de Panambi, CEP,  em 1968. Na direção do CEP estava o professor Hermann Wegermann, o qual indicou Eugen Leitzke como responsável pela Instituição, o qual permaneceu até 1997.
       Tornou-se um órgão da SMEC, da Prefeitura Municipal no dia 8 de novembro de 1989, através da Lei Municipal nº 1.020.
       Passou a denominar-se Museu e Arquivo Histórico Professor Hermann Wegermann, no dia 23 de abril de 2010, sob a Lei Municipal Nº 2.983/2010.
     Segundo IBRAM:  
No universo da cultura, o museu assume funções as mais diversas e envolventes. Uma vontade de memória seduz as pessoas e as conduz à procura de registros antigos e novos, levando-as ao campo dos museus, no qual as portas se abrem sempre mais. A museologia é hoje compartilhada como uma prática a serviço da vida.
O museu é o lugar em que sensações, ideias e imagens de pronto irradiadas por objetos e referenciais ali reunidos iluminam valores essenciais para o ser humano. Espaço fascinante onde se descobre e se aprende, nele se amplia o conhecimento e se aprofunda a consciência da identidade, da solidariedade e da partilha.Por meio dos museus, a vida social recupera a dimensão humana que se esvai na pressa da hora. As cidades encontram o espelho que lhes revele a face apagada no turbilhão do cotidiano. E cada pessoa acolhida por um museu acaba por saber mais de si mesma.  
          Convidamos a todos os panambienses para conhecer mais da nossa história, visitando o MAHP. E neste sábado estaremos participando do Evento Ação Global, aberto ao público das 9 horas às 17 horas.


               




sexta-feira, 13 de maio de 2016

quinta-feira, 24 de março de 2016

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Feliz Ano Novo

"Na grande peça da vida mudam-se os anos, mudam-se os capítulos, alguns atores são substituídos, mas a verdadeira beleza desta história está nos personagens que permanecem nas cenas mais queridas. A todos os personagens que participaram, que participam e participarão dos capítulos da vida do MAHP, desejamos Boas Festas, Feliz Natal e um Próspero Ano Novo."

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Férias

    Comunicamos que  no período de 04 de janeiro de 2016 a 2 de fevereiro de 2016 estaremos em
férias coletivas.  O MAPH estará aberto para visitação a partir do dia 4 de fevereiro de 2016.
    Atenciosamente Têmia Wehrmann
    Coordenadora do MAHP


Acervo do MAHP. Foto 9.028
 

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Visitantes

     Estiveram no Museu e Arquivo Histórico o Sr. Jorge Kertesz e Sra. Dione, acompanhados da professora Gonçalina. Muitas lembranças, como é bom reviver nossa história!


Ex-prefeito Hermann Dietrich visita o Museu

    Nesta terça-feira tivemos a honra de receber  no Museu e Arquivo Histórico o ex-prefeito de Panambi, gestão 01/02/1977 a 31/01/1983, Hermann Dietrich. Foi muito gratificante.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Turno Único

Museu e Arquivo Histórico Professor Hermann Wegermann está em horário especial de expediente. 
Horário: 7 horas às 13 horas.

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Logomarca da Escola Estadual de Ensino Médio José de Anchieta

     A Escola Estadual de Ensino Médio José de Anchieta criou uma logomarca para identificar sua equipe, no formato de moeda. O tema está relacionado a história de nosso município, conforme proposto na 6ª Gincana.

Nome da equipe
Riquezas da História




Escola
Escola Estadual de Ensino Médio José de Anchieta

Justificativa
    A riqueza de um povo não deve ser avaliada pelos bens materiais que possui, mas sim pelas riquezas culturais que o constitui. Entender e aceitar esta riqueza requer, antes de mais nada, conhecer a história, que explica e abre os horizontes para a compreensão da realidade em que estamos inseridos. Sendo assim, conhecer a história de nosso município, requer uma visão para fora desse pequeno território, e reconhecer que o mesmo faz parte de um país que foi se constituindo ao longo dos séculos. Constituição esta que também diz respeito à área financeira, à criação e consolidação de nossa moeda, e os caminhos que a mesma percorreu. Assim sendo, nossa moeda representa a riqueza de nosso município: sua história. 

Parabéns pela contribuição, muito criativa a logomarca.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

6ª Gincana - Sistema Monetário

       Hoje dia 12 de junho acontece o lançamento da 6ª Gincana do MAHP. A Gincana tem como objetivo geral divulgar e explorar  a história do Município de Panambi relacionando esta com a história regional, estadual, nacional e mundial. Este ano o tema é "Sistema Monetário", com exposição temporária de moedas e cédulas do  acervo do Museu e Arquivo Histórico.


   6ª edição da Gincana/2015

 O Museu e Arquivo Histórico Professor Hermann Wegermann está organizando a 6ª edição da Gincana e conta com a participação de sua Equipe.
Para a efetiva comprovação e divulgação das atividades estamos solicitando autorização dos pais para divulgar trabalhos e imagens dos alunos em jornais, revistas e blogs educacionais.

TAREFA 1 (Preenchimento da Ficha de Inscrição, Criação de um Nome da Equipe e a Logomarca).
a) Ficha de Inscrição:

Nome da Equipe:...............................................................................................
Ano:....................................................................................................................
Escola: .................................................................................................................
Nome do Professor Responsável:.........................................................................
Nome dos integrantes da Equipe:.....................................................................
Justificativa da escolha da Logomarca (máximo 10 linhas:.....................................................................................................................

b) Criação da Logomarca e Nome da Equipe.

       Pense na história de Panambi e escolha uma personalidade ou imagem que tenha relação com a história de nosso município para criar uma logomarca e identificar a sua Equipe, no formato de moeda. Também escolha um nome para sua equipe.
       Como suporte estamos encaminhando a história do Dinheiro, retirada do site do Banco do Brasil em forma de power point via e-mail para cada Escola.

Observação: A Logomarca deve ser elaborada manualmente e após fotografada ou digitalizada (JPG ou PNG).
Retorno da Tarefa: O Nome da Equipe e a Logomarca deverão ser enviados através de e-mail ou em CD para o MAHP até 17 de julho de 2015. 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

13ª Semana de Museus

A 13ª edição da Semana Nacional de Museus, programada para os dias 18 a 24 de maio de 2015, traz como tema “Museus para uma sociedade sustentável”. Através dele vem fomentar em toda a sociedade uma maior conscientização da ação do homem sobre nosso planeta e reforçar a necessidade urgente de alinhar nosso modelo econômico e social à perspectiva da continuidade e inovação. Este tema foi escolhido pelo Conselho Internacional de Museus (Icom), e o Museu e Arquivo Histórico Professor Hermann Wegermann, optou em trabalhar “Meios de comunicação e sustentabilidade”.
Durante toda a semana o museu estará realizando atividades relacionadas a este tema, entre elas, visitação guiada à exposição sobre os meios de comunicação de Panambi, palestra sobre “Usos da água e sustentabilidade”, e dia 22 está programado um encontro, às 14 horas, com alunos e representantes da comunidade previamente convidados. O tema do encontro será os meios de comunicação de diferentes épocas, socializando seu uso no dia a dia, relacionando passado e presente.
Segundo a Pesquisa Brasileira de Mídia 2015 (PBM 2015) os jornais são os veículos de comunicação mais confiáveis e a televisão segue como o meio de comunicação predominante entre a população. Porém, a internet vem conquistando rapidamente seu espaço. O brasileiro hoje utiliza cinco horas do seu dia conectado à internet. Mais do que as diferenças regionais, são a escolaridade e a idade dos entrevistados os fatores que impulsionam a frequência e a intensidade do uso da internet no Brasil. Entre os usuários com ensino superior, 72% acessam a internet todos os dias, com uma intensidade média diária de 5h41, de 2ª a 6ª-feira. Entre as pessoas com até a 4ª série, os números caem para 5% e 3h22. 65% dos jovens na faixa de 16 a 25 se conectam todos os dias, em média 5h51 durante a semana, contra 4% e 2h53 dos usuários com 65 anos ou mais.O uso de redes sociais em computadores ou notebooks e o acesso à internet com o uso de telefones celulares estão influenciando significativamente esses resultados.
Para a fabricação desses aparelhos eletrônicos, tão populares na atualidade, são necessários vários recursos, como o plástico (derivado de petróleo bruto) utilizado na carcaça, no teclado, nas dobradiças e nos acessórios, como adaptadores, fones de ouvido e capinhas decorativas. Portanto, os plásticos conhecidos como policarbonatos eacrilonitrilabutadieno-estireno, ou uma combinação dos dois, são os componentes presentes na grande maioria dos telefones celulares. Os visores são feitos de cristal líquido, conhecidos como LCDs. A maioria dos celulares vem equipada a esse tipo de tela (as substâncias cristalinas em telas de LCD podem conter pequenas quantidades de mercúrio, que é um elemento tóxico). As baterias mais comuns são de íons de lítio, Ni-MH e Ni-Cd, que contêm elementos como níquel, lítio, cobalto, zinco, cádmio e cobre. Além de muitos outros materiais, a água é indispensável durante a fabricação.
Quando trocamos de telefone, geralmente por um modelo mais novo, não nos damos conta de que a escolha de um aparelho de uma ou outra marca, poça estar relacionado ao grau de estrago no meio ambiente ou as condições de vida de trabalhadores.
De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, mais de 1,2 bilhões de celulares foram utilizados em 2010. Este é apenas um exemplo de consumismo. Muitos recursos naturais são explorados e poucos são reaproveitados.
Como nosso tema da 13ª Semana de Museus é a comunicação, escolhemos o celular para rastrear de certa forma o processo que ocorre desde a sua produção[1] até seu transporte nas gôndolas, levando em consideração como o usamos e seu descarte. É difícil avaliar a pegada hidrológica de produtos específicos, no entanto, estima-se uma média global de 80 litros de água por dólar de produto industrializado. Caso o celular custe 200 dólares (R$ 598,00), sua pegada hidrológica custaria em média 16 mil litros de água.
A sustentabilidade é um dos grandes desafios da vida contemporânea e sem água não há vida. Temos acesso às informações, no entanto, navegamos em redes sociais e nos abstemos deste conhecimento, ficamos inertes, talvez assistindo notícias e discursando sobre a necessidade de soluções, sem fazer a nossa parte.
O que não se pode negar é a importância da água para nossa sobrevivência, ela está se tornando cada vez mais um bem econômico uma vez que a disponibilidade de água doce no planeta diminui na mesma proporção em que o seu consumo aumenta. A distribuição dos recursos é bastante desigual entre países e regiões, o que, combinado ao desperdício de água, leva a falta desse bem também em locais bem providos de água doce.
A água reconhecidamente é um recurso vulnerável, e já escasso em quantidade e qualidade. Portanto é importante reiterar a Lei da Águas, Lei n. 9.433/97 principalmente no que diz respeito à gestão das bacias hidrográficas, a encargo do Plano Nacional de Recursos Hídricos. Neste sentido é importante destacar o papel de uma gestão compatível com o desenvolvimento local sustentável. Vale ressaltar o trabalho realizado pelo Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Ijuí, uma organização comunitária. A Bacia é dividida em alto, baixo e médio Ijuí. Panambi faz parte da região do Alto Ijuí. A situação problemática dos rios e seu abastecimento não é só de outros locais, precisamos ter projetos voltados ao nosso Rio Fiúza, que hoje segundo avaliações está no nível 1 antes da área urbana (águas destinadas ao abastecimento para consumo humano, após tratamento simplificado) e nível 4 (águas destinadas à navegação e à harmonia paisagística) depois da área urbana, o que é muito alarmante principalmente para saúde pública. Precisamos pensar seriamente em nossas atitudes consumistas e suas consequências para o ambiente, poluindo nosso rios, florestas, etc.
Diante dos fatos o tema deste ano para a Semana de Museus “Museus para uma sociedade sustentável” destaca a importância da conscientização da comunidade frente aos problemas, é preciso repensar práticas, rever ações, debater, questionar, mobilizar e, sobretudo, aperfeiçoar a participação social para a construção de um mundo que reverbere essas ações.

Referências
PEIXOTO FILHO, Aser Cortines; BONDAROVSKY, Sandra Helena. Água, bem econômico e de domínio público



[1]Grande parte dos minerais usados para a produção de eletrônicos vem das minas no leste do Congo, onde, das 13 extrações principais, 12 são controladas por grupos armados. Esses minerais são transformados em metais como estanho (cassiterita) e tântalo (coltan), que são utilizados na fabricação de telefones celulares. A renda obtida financia uma guerra civil que, segundo o Conselho de Direitos Humanos da ONU, matou, nos últimos 15 anos, mais de 5 milhões de pessoas e violou 300 mil mulheres
O Dia Internacional dos Museus é celebrado anualmente a 18 de maio.
A celebração da data é feita desde o dia 18 de maio de 1977, por proposta do ICOM – Conselho Internacional de Museus (organismo da UNESCO).

quinta-feira, 2 de abril de 2015

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

LANÇAMENTO DO LIVRO EFEMÉRIDES DE PANAMBI

Aconteceu na noite do dia 26/02/2015 nas dependências do Museu e Arquivo Histórico Professor Hermann Wegermann o lançamento do livro "Efemérides de Panambi-RS" de autoria do Sr. Bruno Guido Wehrmann. O livro traz efemérides desde a fundação de Cruz Alta e da atual área de abrangência do município de Panambi desde os tempos de Manoel José da Encarnação, destacado por pesquisadores como primeiro morador da referida área, até os dias atuais. São destacadas as datas significativas da evolução de nossa história política, de alguns fatos de maior repercussão relacionados ao clima, às escolas, igrejas, entidades e sociedades culturais, sociais, esportivas e de lazer ainda em atividade, e de algumas empresas e profissionais mais antigos, ainda hoje atuantes nos setores da indústria, comércio e prestação de serviços.
A pesquisa sobre as Efemérides de Panambi é pioneira, pois até o momento não se tem  conhecimento de trabalho semelhante.
Desejamos sucesso ao professor e escritor Bruno pela iniciativa e que sirva de inspiração para outros trabalhos. Seguem as fotos do evento:







sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

COMUNICADO:

O Museu estará aberto à visitação nos dias:
 - 22 de fevereiro de 2015
Horário: 13:00 às 16:00       

- 28 de fevereiro de 2015
Horário: 14:00 às 17:30

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Ecoturismo - premiação da Equipe campeã.

        Dia 10 de dezembro a Equipe Madizes, da EMEF Madalena, foi agraciada com um passeio por lugares de nosso município.
        Da Equipe fazem parte as turmas do 4º e do 5º ano. O nome MADIZES se justifica em relação a Escola Madalena, a qual atende a comunidade rural e que ao longo da sua trajetória vem propondo mudanças significativas e de grande importância para toda a sua comunidade, entendendo  que desde o seu surgimento vem buscando resgatar e reforçar seu valor no campo do conhecimento, para tanto o Logan MADIZES, veio ilustrar os caminhos percorridos historicamente e vivenciados nestes cem longos anos, havendo neste período a miscigenação de raças e etnias. Sendo assim as suas raízes se mostram cada vez mais fortalecidas, por isso do nome MADIZES, as raízes da Escola Madalena.
       Pela parte da manhã foram acompanhados pelo agrônomo Otávio Zillmer e a professora Márcia, funcionários da Cotripal, na visita as nascentes do Arroio do Moinho, um Projeto da ARPA FIÚZA, na propriedade de Milton e Senilda Schmidt Paganella. O Sr. Otávio relatou como iniciou e quais são as novas propostas para o Projeto. 




Bueiro instalado para proteger a nascente

Borboleta em meio a natureza
Sr. Otávio mostrando a vertente


A turma reunida

A equipe também visitou a EMEF Maurício Cardoso. O almoço foi no refeitório da COTRIPAL.

Após o almoço visitou-se a Praça Engenheiro Walter Faulhaber resgatando a história de Panambi, como as terras de Chico Saleiro, a venda destas para a Empresa de Colonização Dr. Herrmann Meyer, a demarcação da Praça, seus monumentos, enfim sua história.
Ainda pela parte da tarde os alunos se deslocaram até a Linha Rincão Fundo numa trilha planejada pelo Projeto CRIAR, esta se localiza em parte na área da Escola e outra em propriedades particulares. Os alunos do 4º e do 5º ano da EMEF 21 de Abril, orientados pela professora Haidi Loose, conduziram a Equipe pela Trilha. Uma experiência muito positiva pela interação entre as crianças e estas com a natureza.











Área próxima ao Rio Palmeira, lavoura logo abaixo da linha do horizonte é no município de Condor.